Padrão

Escrevo pra ti, menino da estrada.

Para que nossos caminhos nunca se percam

Para que a vida nunca se afaste

Dos sonhos que levaste, por engano

Na bagagem das tuas andanças.

Escrevo a ti, meu menino da estrada

Que nas entranhas das passadas

Volte a mim, a nós dois.

Te escrevo com fé nas minhas cartas

nas linhas, das rimas, do que ficou.

Essa saudade, meu menino.

Guarda no cantinho, manso como o tempo

Um dia a gente senta

e ri de tantos contratempos.

Nosso eterno desencontro.

Boa viagem, sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s