..é só saudade…

Padrão

Ao amanhecer me percebi tua. E chorei. Um choro limpo que brotava de dentro do meu peito sem que de forma alguma pudesse ser freado. Soluçava. Senti a dor do peso de me descobrir tão apaixonada, tão entregue. As costas se curvavam a cada lágrima como se explodissem dos meus olhos. Chorei horas. A cada lembrança uma nova e torrencial chuva de água e sal. Só consegui retornar ao centro de mim quando respirei fundo e me senti estranhamente leve. Não sei o que houve naquele momento de tamanha fragilidade e força, ambas tão diferentes, mas capazes de dividir um único corpo, no caso, o meu. Admiti pela primeira vez que te amava, não pra ti, em altos brados como normalmente faço, ou para os amigos, família que sempre perguntam por mim no plural, já que não conseguem me dissociar de nós, contudo, naquele fatídico choro confessei a minha fraqueza ao espelho: não quero estar só. E solidão essa capaz de ser amenizada somente contigo, cheiro, voz, silêncio. Nada mais se encaixa, fecha. Teu amor se tornou necessário, tua falta lacerante e nosso futuro algo desconhecido, assustador. Te amo com toda a minha essência, com a coragem que nunca tive. Te amo com força, com fé e só tu sabe o quanto estranho é eu acreditar. E novamente não escrevo pra ti, como não solucei pra ti, mas sim por ti, por seres em minha vida algo que me faz descobrir em mim mesma tantas outras emoções. Obrigada, menino, por estar aqui. ❤

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s