Das fugas todas.

Padrão

Fugi de casa muito cedo. Antes mesmo de saber qual era o real motivo para tanta vontade de deixar a pequena família de mulheres para trás e ir ganhar o mundo. Sabia que precisava e que podia ir, porque sempre poderia voltar. Pelo menos uma vez na vida, todas as Prux já foram embora, então me perdoariam pelo voo mal planejado. Assim começou a minha vida, numa turbulenta sequencia de idas e vindas, por estados, lugares, pessoas, que jamais imaginava existirem por ai. Descobrir é sempre mágico e indescritível. Uma sensação como essa não tem preço, mas passa muito rápido. Percebi logo que estava viciada em partir e que de todos os aprendizados, não tinha internalizado o mais primordial para quem muda tanto: permanecer. Pode parecer engraçado, mesmo assim eu esqueci dessa parte da lição. A cada fuga, cada ida sem despedida, pensava: “fui feliz aqui, não sou mais”.Com essa frase na cabeça, consegui não chorar, não sofrer demais. Por algum motivo que não sei ao certo, agora as coisas mudaram. Sinto tanta falta de casa, daquela com a mãe e a vó, a comidinha e o aconchego de ser amada incondicionalmente. Jamais achei que passaria pela minha cabeça querer voltar ao tempo em que eu era, sem saber, feliz. Tinha problemas, situações difíceis de aceitar diariamente, fatos que hoje, longe, não me afetam mais. Estou só e estar assim é um grande silêncio. Por vezes, é bom, outras não, mas é só questão de saber administrar. Penso muito em mudar de novo, jogar tudo para o alto, cair na estrada, como aprendi a vida toda a fazer. O interessante e intrigante disso tudo é que agora tenho medo. Medo de ter descoberto o amor aqui, no nada, no interior do meu interior. Medo de não ver a verdade, de não enxergar o real, de viver uma ilusão. Medo de descobrir que tudo que eu sempre quis estava aqui: raízes. Talvez seja a idade chegando, colocando na menina imprudente um pouquinho de freios. Pode ser. Sempre é hora de crescer, mesmo que ainda falte muito para chegar lá – meus lapsos de adolescente ainda não me deixaram por completo. Constatei que tenho tudo que quis. Nada de riquezas milionárias ou uma vida de agente secreto, só meios de tornar sonhos realidade, ferramentas para fazê-lo. Por isso, não me dou mais ao direito de ser infeliz por mais de uma hora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s